angola china construção

 

A China tem aproveitado o seu poderio económico, para influenciar e ajudar alguns países, sendo que um dos casos mais marcantes é Angola. Hoje, com um PIB de quase 13 triliões de dólares, é a segunda força mundial, atrás apenas dos Estados Unidos,

Angola sofreu muito devido ao colapso da economia do petróleo - actualmente o barril vale menos de 20 dólares - e tenta recuperar apoiada no modelo imobiliário da China, uma referência no mundo contemporâneo.

Diversificação Económica

Com esta ajuda chinesa, Angola, principalmente na sua capital Luanda, tenta diversificar suas actividades económicas e assim, ficar menos dependente do petróleo, o qual, está altamente instável e não é garantia de uma economia saudável.

A parceria com a China acontece tanta na questão de financiamentos, com grandes grupos chineses investindo em construções angolanas, quanto em metodologias de construção, com especialistas chineses dando consultaria para o governo angolano aproveitar o potencial imobiliário que o país africano tem.

Esse potencial deve-se ao número de terras ocupadas pelo Governo, as quais, não tem um destino e estão abandonadas, sem nenhuma construção e nenhuma utilização correcta. Assim, o Governo angolano quer a ajuda de empresas chinesas, para aumentar a economia apostando no ramo imobiliário, principalmente na construção de edifícios.

Umas dessas parcerias é o projecto Kilamba, no qual, grandes empreiteiras chinesas construíram o maior conjunto habitacional de Angola. Nesse projecto, foram construídos 20 mil apartamentos, apenas nos arredores de Luanda.


A intenção é que essa parceria se expanda para fora da capital, chegando a 150 mil unidades construídas, nas 18 províncias angolanas. Ou seja, é um grande programa de construção e uma grande oportunidade para Angola expandir os seus horizontes económicos e solidificar suas finanças.

Linha De Crédito Chinesa

Aproveitando a parceria bem-sucedida com a China, basta ver o sucesso com o projecto Kilamba, o governo angolano pretende expandir essa relação, abrindo linhas de crédito para que as empresas chinesas façam a ligação eléctrica de 480 mil residências.

Além disso, esse plano de linha de crédito prevê a produção e recuperação de mais de 2200 quilómetros de estradas e a edificação de 39 sistemas de abastecimento de água, para que o país melhore a sua precária infra-estrutura.

A ligação entre Angola e China é incontornável em diversas áreas económicas, mas é no eixo Imobiliária-Construção que esta cooperação é mais visível. Nos próximos anos podem-se esperar novas evidências desta realidade.

Para Receber Informação Sobre os Melhores Imóveis de Angola Subscreva:

 

Top

 

Fique a par de todas as novidaded do
Angola Carro e receba informação privilegiada sobre os melhores
anúncios: basta colocar o seu email!
É completamente gratuito

Comprar Vip